A SER DOWN                NOSSOS
                  TRABALHOS
                    PERGUNTAS
                    FREQUENTES
       Legislação  
     Textos e Artigos
     Cadastre seu Filho
     Nossos Colaboradores
     Notícias e Dicas
     Boletim Informativo
     Links Interessantes
     Contato
PROMOVER MEIOS QUE FACILITEM O DESENVOLVIMENTO DAS PESSOAS COM SÍNDROME DE DOWN PARA A SUA INCLUSÃO PLENA NA SOCIEDADE
Textos e Artigos
 


SÍNDROME DE DOWN E ADOLESCÊNCIA


Autoria: referência bibliográficas
Data: 14/3/2002
Resuno:
A adolescência é freqüentemente um período de desafios para o jovem e sua família. É um período em que ocorrem muitas mudanças físicas, que são acompanhadas por mudanças de comportamento e sentimentos.


A adolescência é freqüentemente um período de desafios para o jovem e sua família. É um período em que ocorrem muitas mudanças físicas, que são acompanhadas por mudanças de comportamento e sentimentos. É urna fase em que a pessoa deve deixar de ser criança, mas ainda não está totalmente preparada para assumir as responsabilidades do adulto. Durante o processo de crescimento da infância para a adolescência e vida adulta, as expectativas são de que a pessoa abandone os comportamentos infantis e assuma mais responsabilidades em relação à própria vida. Este período costuma ser conturbado para qualquer pessoa, e adolescentes deficientes costumam ter dificuldades maiores. Muitos jovens deficientes, incluindo os portadores da Síndrome de Down, possuem os atributos físicos de jovens normais, mas não estão preparados para as solicitações da vida independente. Quando se considera o adolescente com Síndrome de Down, a expectativa de que venha a ser independente é diferente. Neste caso, nota-se que a tendência dos pais e da sociedade é de considerá-los como "eternas crianças". Ainda hoje, em muitos segmentos sociais e profissionais, não se considera a possibilidade de um desenvolvimento que leve à manifestação de desejos de independência e participação. Muitas vezes, a atitude dos pais é ambígua porque, embora percebam as modificações que ocorrem no filho, é difícil definir até que ponto ele poderá assumir uma vivência afetiva e sexual independente. Com isso, dificilmente os pais contribuem para desenvolver em seus filhos deficientes o sentido de independência e responsabilidade. Além disso, as circunstâncias sociais não favorecem a independência do deficiente e, na maioria das vezes, ele não encontra formas saudáveis de satisfazer seus impulsos. A Síndrome de Down é um erro genético que traz vários comprometimentos, além da deficiência mental. De uma forma geral, ainda há muito a esclarecer sobre essas complicações, embora todas elas estejam sendo estudadas. Em relação ao aspecto sexual, há muita controvérsia e podemos dizer que os estudos estão apenas começando. Entretanto, já se sabe que na Síndrome de Down há diferenças no desenvolvimento sexual masculino e feminino. Em relação ao sexo feminino, a fertilidade está suficientemente comprovada, pois há vários casos de reprodução em mulheres portadora s da síndrome. Ao contrário, muitas controvérsias ainda envolvem o funcionamento sexual masculino.

 
 
Contato   Associação Baiana de Sindrome de Down © todos os direitos reservados