A SER DOWN                NOSSOS
                  TRABALHOS
                    PERGUNTAS
                    FREQUENTES
       Legislação  
     Textos e Artigos
     Cadastre seu Filho
     Nossos Colaboradores
     Notícias e Dicas
     Boletim Informativo
     Links Interessantes
     Contato
PROMOVER MEIOS QUE FACILITEM O DESENVOLVIMENTO DAS PESSOAS COM SÍNDROME DE DOWN PARA A SUA INCLUSÃO PLENA NA SOCIEDADE
Textos e Artigos
 


Origem de cromossomo extra ainda é mistério


Autoria: Lais Mendes Pimentel - BBCBRASIL.COM
Data: 25/8/2003
Resuno:
Assim que os pais ficam sabendo que geraram um filho com a síndrome de Down, uma das primeiras perguntas que vem à cabeça é: "Mas como isso aconteceu?"


Graças aos avanços no campo da genética, a ciência pode estar mais próxima de ter a resposta para esta questão. Para entender o que é nascer com trissomia 21, é preciso relembrar certos conceitos básicos de biologia. O corpo humano é formado por uma coleção de células que formam os tecidos, o sangue e os órgãos. Trissomia 21 O núcleo de cada célula humana contém 46 pares de cromossomos, metade vindo do óvulo da mãe e a outra, do espermatozóide do pai. Nos portadores da síndrome de Down, o 21º par de cromossomo tem três cromossomos, daí a terminologia médica para esta anomalia genética ser trissomia 21. O que provoca o surgimento de um terceiro cromossomo no par 21 não é totalmente compreendido pela ciência. Só se sabe que acontece logo após a concepção, quando se dá o início do processo de divisão celular. Formação cerebral Este cromossomo a mais, por causa dos genes que carrega, acarreta uma presença maior de certas proteínas que afetam o desenvolvimento normal do feto. Quais são exatamente estas proteínas e como elas afetam o metabolismo do ser humano também são questões a serem respondidas no futuro pela ciência. O que se sabe é que as celulas do corpo de um feto com trissomia 21 não se dividem tão rapidamente quando deviam e, portanto, os bebês com Down tendem a ser menores que a média. Além disso, a migração das células que formam diferentes partes do corpo é afetada, especialmente na formação do cérebro. Cura Quando o bebê com Down nasce, todas estas diferenças já estão presentes. O bebê, com menos células cerebrais e a formação do cérebro afetada, vai ter uma capacidade de aprendizado mais lenta. Apesar de estas diferenças terem sido estabelecidas antes do nascimento e a medicina atualmente considerá-las irreversíveis, há cientistas e pesquisadores que acreditam que a terapia genética será capaz, um dia, de ?curar? a síndrome de Down. Mas a grande parcela de pesquisas em torno da trissomia 21 se concentra no entendimento de outras questões que ainda são um enigma para os médicos. Entre elas estão o que detona o surgimento do terceiro cromossomo no par 21, porque as pessoas que nascem com a síndrome de Down têm mais chances de desenvolver doenças como o Mal de Alzheimer mais cedo que o resto da população e, ainda, se suplementos vitamínicos poderiam atenuar as dificuldades de aprendizado das pessoas que nasceram com esta anomalia genética.

 
 
Contato   Associação Baiana de Sindrome de Down © todos os direitos reservados