A SER DOWN                NOSSOS
                  TRABALHOS
                    PERGUNTAS
                    FREQUENTES
       Legislação  
     Textos e Artigos
     Cadastre seu Filho
     Nossos Colaboradores
     Notícias e Dicas
     Boletim Informativo
     Links Interessantes
     Contato
PROMOVER MEIOS QUE FACILITEM O DESENVOLVIMENTO DAS PESSOAS COM SÍNDROME DE DOWN PARA A SUA INCLUSÃO PLENA NA SOCIEDADE
Textos e Artigos
 


A CRIANÇA E A POSSIBILIDADE DE APRENDIZAGEM NA NATAÇÃO TERAPÊUTICA


Autoria: Profª Márcia Cristina Ortiz
Data: 30/4/2007
Resuno:
Profª Márcia Cristina Ortiz - professora - retirado do sitehttp://www.meiregomes.med.br


Aqui estão algumas explicações que podem ajudar você a solucionar algumas dúvidas e ter mais conhecimento sobre o que é oferecido para o seu filho numa aula de natação. Existem muitos caminhos que podem ser percorridos numa aula de natação. Acreditamos que dependendo sempre de qual objetivo você quer alcançar e qual é o mais indicado no momento a natação pode ser dividida em: § Natação competitiva, onde os interesses partem em busca de recordes, melhoria da técnica, participação em competições. O que muitas vezes acontece é a falta de respeito ao desenvolvimento psicomotor ou emocional da criança para a tentativa de obtenção de resultados. Traz como pré-requisito a idade e a participação da criança em fase anterior na adaptação à técnica dos nados, a quantidade de exercícios e ao tempo de aula ou treino. § Natação recreativa é aquela onde o que interessa é a diversão da criança. Simplesmente o banho de piscina já é o bastante pra a maioria das crianças divertirem-se. Atividades com brinquedos e flutuadores são bem-vindas. Porém, elas podem correr riscos de saúde e vida se não conhecerem os seus limites de sobrevivência em uma piscina, mesmo rasa. É necessário que a criança movimente-se com responsabilidade, percebendo o espaço livre para o salto, rotações e giros para o alcance da borda, o seu tempo de fôlego para determinar as distâncias a serem percorridas, não agarrar os colegas e ao escorregar no raso alcançar o reequilíbrio, podem ser exemplos de algumas das muitas situações, que se não seguidas podem provocar acidentes fatais. Flutuadores não são suficientes para a segurança da criança. O descuido dos pais nos fins de semana é um fator que leva a um número muito grande de ocorrências e que poderiam ser evitados. § A natação voltada para a sua saúde e o seu desenvolvimento fisiológico prevê a obtenção de melhoria das capacidades respiratória e cardíaca, da mobilidade articular, do equilibrar, do fortalecimento muscular geral, do sentar, rolar e andar, pode melhorar seu desenvolvimento geral, acelerar o processo de cura ou manutenção de doenças e atenuar processos degenerativos. Como exemplo a asma, a hiperexcitabilidade e a obesidade. § Natação adaptativa que busca utilizar recursos para a aquisição da auto-segurança e independência da criança na piscina, mar e lagoas, enfim em água rasas e profundas. Tem objetivos de sobrevivência e é de extrema utilidade que a criança tenha intimidade ao meio líquido para não correr riscos e traumas. § Na natação relaxante, a criança é levada a se perceber e a perceber o espaço que está inserida através do contato físico da água no seu corpo, de toques suaves e massagens em seu corpo, alongamentos e movimentos suaves, que a levarão a driblar a ansiedade em seu dia-a-dia. O colo, o acolhimento, o vínculo entre professor e aluno podem ajudar a melhoria de sua auto-estima. § Analisamos que a aprendizagem mediante as diferentes possibilidades motoras e emocionais existentes numa aula de natação, deva exercitar a capacidade ideomotora nas crianças, uma vez que as mesmas, para realizarem suas ações, necessitam do planejamento mental e determinação para executá-las, isto é, ressaltar na criança a vantagem dela decidir o movimento e/ou a atitude a serem realizados naquele momento. Segundo psicólogos, isto traz a estruturação da personalidade e a formação do autoconceito mediante o exercício da possibilidade motora na água. Temos que sempre lembrar de respeitar o que é mais indicado para a criança. Sua idade, estado emocional, de desenvolvimento, de desejos e prazeres pessoais. Uma criança de tenra ou pouca idade ainda não está emocionalmente preparada para competir e perder, ou só ganhar, é hora dela viver a tentativa, do ensaio e erro, da desmistificação da incapacidade na ousadia da realização e ainda, na tentativa autônoma da realização motora na piscina. E rrando e tentando novamente pode perceber que tem direito a este erro e que existe o professor que está ao seu lado para dar suporte físico e emocional nas situações novas a serem vivenciadas. Assim ela construirá sua imagem fortalecida no mundo real de sucesso-fracasso favorecendo situações e condições futuras em sua vida, por exemplo, o vestibular, as amizades e namoros, o mercado de trabalho, sua cidadania e autoconhecimento. Identificar o que é bem-vindo, mixar e dosar estes objetivos acima descritos é o trabalho a ser percebido por você na aula de natação do seu filho. Se algo está faltando ou sobrando, avalie. A natação terapêutica infantil engloba e tem enfoque na possibilidade de experimentação de todos estes fatores e na prevenção dos possíveis desvios destes. Por isso todos as crianças podem freqüentar a natação terapêutica. Não é preciso ter algum problema ou deficiência para participar. Temos objetivos a alcançar com toda e qualquer criança na piscina, depende do que você quer oportunizar a ela. T raz possibilidades a toda criança, d o lactente à em idade pré e escolar, de referenciar a construção ou a reabilitação de sua imagem pessoal, levando-as para além do espaço da piscina. Isto se dá também para muitas crianças hiperativas, com deficiências, com dificuldades de coordenação e de relação social, que apresentam déficits ou defasagens na sua motricidade , enfim com um determinado número de características traduzidas em dificuldades de adaptação, relação e aprendizagem. Enquanto nadam, as crianças descobrem quem são, qual sua relações com as demais e com o meio ambiente, percebem semelhanças e diferenças e aprendem com elas. Permitir que as crianças sejam crianças e vivam como crianças é ocupar-se do presente, porque o futuro dele decorre. "O lúdico sugere o conhecimento e a exploração, diferentes recriações por parte da criança. Sem o componente lúdico como instrumento na aula de natação, a atividade pode não lhe ser prazerosa. A plenitude da adesão infantil tenderá as mais significativas funções no seu desenvolvimento".

 
 
Contato   Associação Baiana de Sindrome de Down © todos os direitos reservados