A SER DOWN                NOSSOS
                  TRABALHOS
                    PERGUNTAS
                    FREQUENTES
       Legislação  
     Textos e Artigos
     Cadastre seu Filho
     Nossos Colaboradores
     Notícias e Dicas
     Boletim Informativo
     Links Interessantes
     Contato
PROMOVER MEIOS QUE FACILITEM O DESENVOLVIMENTO DAS PESSOAS COM SÍNDROME DE DOWN PARA A SUA INCLUSÃO PLENA NA SOCIEDADE
Notícias e Dicas
 


[03/06/2008] SEGUNDA VITÓRIA!!!Inclusão das pessoas com deficiências na área da saúde

SEGUNDA VITÓRIA!!!Inclusão das pessoas com deficiências na área da saúde

Fonte: Patricia Almeida-Coordenadora Agencia Inclusive


Agência Internacional para Promoção da Inclusão Notícias e Informações sobre Deficiência Conteúdo sobre Educação Inclusiva 13/5/08 SEGUNDA VITÓRIA http://agenciainclusive.blogspot.com/2008/05/segunda-vitria.html Ainda sob os efeitos da histórica votação do Primeiro Turno da ratificação da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, o Instituto Meta Social, da campanha Ser Diferente é Normal, do qual sou colaboradora voluntária, teve uma audiência ontem à tarde com o Ministro da Saúde José Gomes Temporão, que anunciou um pacote de medidas para a inclusão da saúde da pessoa com deficiência na informação produzida pelo Ministério. Caderneta da Criança Graças às gestões feitas pelo Instituto e à intermediação de Jack Corrêa e Tatiana dos Mares Guia, pais de Augusto e Guilherme, o Ministério da Saúde passará a publicar, a partir do próximo ano, na Caderneta da Criança, a curva de crescimento para crianças com síndrome de Down, informações sobre diagnóstico precoce de autismo, entre outras inovações. Anualmente são produzidas 3 milhões de cadernetas, entregues aos pais nos Postos de Saúde na primeira vacinação da criança em todo Brasil. A maioria das crianças com síndrome de Down tem um padrão de crescimento diferenciado, sendo, em geral, menores em estatura e peso do que as crianças sem a síndrome. Desconhecendo esta peculiaridade, muitas mães, pais e mesmo profissionais de saúde que se guiam pelas curvas de crescimento padrão para meninos e meninas que hoje constam na caderneta são levados a acreditar que o crescimento da criança está comprometido. As informações sobre os primeiros sinais de transtorno do espectro autista permitirão que os pais e profissionais que acompanham a criança identifiquem possíveis sinais de autismo, possibilitando a procura de intervenção mais cedo, o que contribuirá para o melhor desenvolvimento da criança. Parto Humanizado e Nascimento Outra antiga demanda do movimento Down diz respeito à forma como a notícia do diagnóstico do bebê recém nascido é dada à família. Por falta de preparo dos profissionais de saúde, a novidade costuma ser comunicada de forma inapropriada, levando a traumas que podem comprometer a inclusão da criança na família e até o seu desenvolvimento. Essa questão será abordada no manual do Parto Humanizado e Nascimento, a ser distribuído para os profissionais do Sistema SUS. Na mesma publicação serão incluídos os cuidados com a gestante com diferentes tipos de deficiência. Segundo Adson França, Diretor do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas do Ministério, no curso de Medicina os estudantes não recebem orientação sobre, por exemplo, como fazer um exame ginecológico numa paciente paraplégica. As informações contidas no manual virão a sanar esse tipo de situação. Programa Saúde da Família O Ministro Temporão anunciou também que o Manual para profissionais do Programa Saúde da Família passará a incorporar conteúdos relacionados aos diversos tipos de deficiência, e que a Pessoa com Deficiência será incluída no Pacto pela Saúde, um entendimento de gestão entre as três esferas de governo - federal, estadual e municipal para maior eficiência e qualidade no sistema SUS. Além do Ministro Temporão, participaram da reunião o Secretário de Atenção à Saíde, José Carvalho Noronha, o Presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria, Dioclécio Campos Jr e a Coordenadora Geral do Instituto Meta Social, Helena Werneck. Azul Na ocasião, Helena Werneck, apresentou ao Ministro o novo filme da campanha Ser Diferente é Normal, Azul, produzido pela Giovanni FCB, que está sendo veiculado em várias emissoras. No filme, a personagem, que tem síndrome de Down, vai mudando de cor para fugir dos olhares (curiosos, discriminadores, surpresos, atravessados, reprovadores?), que as pessoas que fogem ao padrão de normalidade recebem no dia-a-dia, até que decide assumir a própria coloração e esperar que os outros a aceitem como ela é. Afinal, pensa, é só uma questão de tempo... Avanço Muito importante frisar que não se tratam de publicações especiais, mas sim da incorporação das peculiaridades do segmento às orientações publicadas pelo Ministério sobre a saúde de todos os brasileiros. É a efetiva inclusão das pessoas com deficiência na área da saúde, uma segunda vitória, acompanhando os ventos da Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência. Patricia Almeida Coordenadora Agência Inclusive Coordenadora DF Instituto Meta Social Reprodução do texto e fotos permitida com citação da fonte Patricia Almeida – 61-9964-7745 – Coordenadora - agencia.inclusive@gmail.com- www.agenciainclusive.blogspot.com

 
 
Contato   Associação Baiana de Sindrome de Down © todos os direitos reservados