A SER DOWN                NOSSOS
                  TRABALHOS
                    PERGUNTAS
                    FREQUENTES
       Legislação  
     Textos e Artigos
     Cadastre seu Filho
     Nossos Colaboradores
     Notícias e Dicas
     Boletim Informativo
     Links Interessantes
     Contato
PROMOVER MEIOS QUE FACILITEM O DESENVOLVIMENTO DAS PESSOAS COM SÍNDROME DE DOWN PARA A SUA INCLUSÃO PLENA NA SOCIEDADE
Notícias e Dicas
 


[05/08/2008] BAHIA - Deficientes discutem propostas para garantir direitos



Fonte:


Assunto: Deficientes discutem propostas para garantir direitos São graves os problemas enfrentados pelas pessoas com deficiência no estado da Bahia, em especial no interior. Para se ter uma idéia, à exceção de Salvador, existem apenas 12 centros de reabilitação para atender 416 municípios. Dificuldade de acessibilidade, exclusão escolar, falta de transporte e de atendimento à saúde são as principais reclamações dos participantes das quatro conferências territoriais sobre direitos da pessoa com deficiência. Realizadas pela Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH), em julho passado, nos municípios de Alagoinhas, Barreiras, Senhor do Bonfim e Ipirá, as conferências territoriais são preparatórias para a 2ª Conferência Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que será realizada pela SJCDH entre os dias 16 e 18 de setembro, com o tema "Inclusão, Participação e Desenvolvimento - Um novo jeito de avançar". Em pelo menos dois encontros, a principal proposta é a execução pelos municípios do Programa de Acessibilidade, a fim de cumprir os direitos previstos pelo projeto. Problemas como falta de acessibilidade em ruas, prédios residenciais, públicos e de empresas privadas, a exclusão enfrentada por crianças com deficiência em escolas despreparadas para atendê-la, além de transporte e atendimento à saúde precários são as principais queixas explanadas pelas pessoas com deficiência que vivem no interior. Segundo a coordenadora executiva dos Direitos da Pessoa com Deficiência da SJCDH, Regina Atalla, as primeiras territoriais alcançaram bons resultados. "Nessas quatro conferências, reunimos cerca de 800 pessoas para discutir os direitos das pessoas com deficiência, um avanço em se tratando da 2ª Conferência", disse. Regina destacou ainda que a primeira territorial, realizada em Alagoinhas, "abriu com chave de ouro esse ciclo de conferências, pois o município sede do evento fez um amplo trabalho de mobilização das cidades da região". O território do Litoral Norte e Agreste Baiano agrupa, além de Alagoinhas, mais 21 municípios. Uma idéia criada pela organização da territorial em Senhor do Bonfim será implementada na conferência estadual - durante as inscrições do evento no município, foi disponibilizado intérprete da Linguagem Brasileira de Sinais (Libras) para pessoas surdas. A coordenadora ressaltou também que nos lugares onde há maior envolvimento de autoridades locais, a conferência apresenta maior participação e, conseqüentemente, resultado melhor. Ao final da conferência estadual serão eleitos 300 delegados para representar a Bahia na 2ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, no período de 1 a 4 de dezembro, em Brasília, sendo 52 integrantes do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Coede) e 248 eleitos nas territoriais.

 
 
Contato   Associação Baiana de Sindrome de Down © todos os direitos reservados